Nesta sexta-feira (07), foram publicados os editais referentes à data da sessão pública de julgamento dos recursos em face da primeira prova escrita discursiva, bem como ao dia de realização da prova de sentença. Confira nas publicações abaixo: 

 

 

EDI TAIS

 

O Presidente do Tribunal e da Comissão do XXXV Concurso Público

para Provimento de Cargos de Juiz do Trabalho Substituto do Tribunal

Regional do Trabalho da 2ª Região, FAZ SABER que a Sessão Pública

para julgamento dos recursos interpostos em face da Primeira Prova

Escrita Discursiva (2ª Etapa), ocorrerá no dia 26 (vinte e seis) de janeiro de

2011, às 13 horas, no 24º andar do Edifício-Sede, na Rua da Consolação,

nº 1272, São Paulo.

 

São Paulo, 17 de dezembro de 2010.

 

(a)NELSON NAZAR

Desembargador Presidente do Tribunal e da Comissão do

Concurso

 

 

O Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região e da

Comissão do XXXV Concurso Público para Provimento de Cargos de Juiz

do Trabalho Substituto do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região,

comunica que:

 

A Segunda Prova Escrita Sentença (2ª Etapa) será realizada no dia

12 (doze) de fevereiro de 2011, sábado, às 13 (treze) horas, na

Universidade Presbiteriana Mackenzie, Edifício Modesto Carvalhosa, na

Rua Itambé, nº 135, Higienópolis, São Paulo – SP.

 

A prova terá 04 (quatro) horas de duração e os candidatos deverão

comparecer com uma hora de antecedência.

 

A identificação do candidato em sala de prova será feita por meio de

apresentação de um dos seguintes documentos originais: Cédula Oficial de

Identidade (RG), Carteira Funcional de Órgão Público, Carteira de

Identidade de Advogado (regularizada perante o órgão de classe – OAB e

que contenha o número do RG na mesma) ou Carteira Nacional de

Habilitação (com prazo de validade não expirado) – item 13.12 do Edital.

 

Os candidatos deverão utilizar caneta de tinta azul ou preta

indelével, de qualquer espécie, vedado o uso de líquido corretor de texto

ou caneta hidrográfica fluorescente, conforme item 8.33 do edital.

 

Poderá haver consulta à legislação desacompanhada de anotação

ou comentário, vedada a consulta a obras doutrinárias, súmulas e

orientação jurisprudencial, conforme item 8.23 do edital. Em nenhuma

hipótese poderá o candidato valer-se de material de outrem ou de textos

extraídos da Internet. A proibição abrange, inclusive, anotações com

caneta marca texto.

 

São Paulo, 17 de dezembro de 2010.

 

(a)NELSON NAZAR

Desembargador Presidente do Tribunal e da Comissão do

Concurso