No dia 6 de novembro, juntamente com a entrega do novo prédio do Fórum da Zona Sul, será inaugurado o quinto centro de solução de disputas do TRT-2, o Cejusc-JT ABC (Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas).

O mais novo espaço deste Regional exclusivo para conciliação contará com quatro mesas localizadas no piso térreo do prédio, onde serão realizadas as tentativas de acordo nos processos que tramitam nas varas de Diadema, Ribeirão Pires, Santo André, Mauá, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul.

O incentivo à construção da pacificação e harmonia das partes que estão em litígio no Cejusc ABC começará junto com a inauguração, tendo em vista que, no próprio dia 6/11, já serão realizadas audiências de conciliação.

A instalação do Cejusc ABC no novo prédio do Fórum da Zona Sul considerou a disponibilidade de espaço físico no local e a maior proximidade em relação às comarcas do ABC, que contam com 26 varas do trabalho.

Em 2016, nos seis fóruns da região metropolitana referida, foram distribuídos mais de 50 mil processos e realizadas mais de 20 mil conciliações. De acordo com dados do projeto de Conciliação Itinerante, notou-se que havia no ABC Paulista uma demanda para conciliações não atendidas plenamente por conta da distância em relação à sede. Outro indício observado foi a expressividade do resultado da conciliação itinerante em Mauá, onde foram realizados acordos em 50% das sessões realizadas.

"O ideal seria instalar um Cejusc em cada fórum ou, no mínimo, em cada circunscrição. No entanto, considerando a escassez de recursos, especialmente de magistrados e de servidores, o Tribunal está aproveitando as novas instalações do Cejusc Zona Sul para aproximar o atendimento dos jurisdicionados do ABC, o que antes era feito pelo Cejusc Sede. Assim que as condições melhorarem, certamente serão envidados esforços para deslocar o Cejusc ABC para a região", disse a vice-presidente administrativa do TRT-2, desembargadora Cândida Alves Leão.

Dados apontam que a busca pela rápida e eficiente resolução dos conflitos no âmbito da Justiça do Trabalho faz com que a conciliação seja uma das ferramentas mais utilizadas para a pacificação social na atualidade, notadamente perante este Regional.

Segundo a ata da correição ordinária realizada no TRT da 2ª Região neste ano, o Regional teve uma taxa média de conciliação superior à dos tribunais de grande porte do país nos últimos anos. O resultado expressivo foi atribuído à adoção, pelo TRT-2, de política permanente de conciliação por meio também dos Cejucs, criados no âmbito da 2ª Região a partir de 2013.